Print Friendly, PDF & Email

A todo o momento somos bombardeados com informações sobre novas dietas “milagrosas”  que prometem uma “revolução” na área da Nutrição, com emagrecimento rápido e definitivo. Tais dietas são adotadas e seguidas por milhares de pessoas, tendo em vista a quantidade de indivíduos obesos e com problemas de saúde decorrentes da obesidade ao redor do mundo. Você provavelmente conhece alguém muito próximo, ou até mesmo já experimentou uma ou várias dessas dietas. Ou já ouviu falar que pessoas famosas aderiram a essas dietas e “perderam….quilos em …..dias”.

Mas será que essas dietas funcionam efetivamente? Será que a perda de peso é saudável? Ou definitiva? Nessa artigo, vou esclarecer essas perguntas.

Antes de me aprofundar nos tipos de dietas e efeitos para o organismo, é importante salientar que a perda de peso é sempre um fator importante e uma meta a ser atingida por indivíduos muito acima do peso. Porém, nem sempre essa perda ataca o agente promotor da mudança de estilo de vida e da reeducação alimentar. Responsabilizar determinados grupos alimentares pelo excesso de peso e obesidade é uma estratégia simplista, que não enxerga o ser humano de forma holística.

As dietas da moda são periodicamente lançadas com a promessa de dar fim à obesidade. Mas os estudos concluem que ESSAS DIETAS NÃO FUNCIONAM. Os indivíduos obesos que se submeteram a esse tipo de dieta continuaram como estavam após um período de tempo. Isso significa que o estudo detalhado da ingestão alimentar, da prática regular de exercícios físicos, do estado emocional do cliente e de doenças determinantes da obesidade são FUNDAMENTAIS no sucesso do tratamento de indivíduos obesos.

Falarei agora de quatro dietas da moda e seus efeitos no organismo:

1-  Dieta da proteína ( Dieta do Dr. Atkins) – Autor: Robert Atkins

Como funciona: elimina-se o consumo de alimentos fonte de carboidratos (pães, massas, legumes, frutas) e permite livre acesso aos alimentos ricos em gordura e proteínas como carnes, bacon, ovos, leite e queijos de todos os tipos. O consumo de folhas é permitido.

Quanto diz emagrecer: 4 kg por semana.

Pontos negativos: estimula consumo exagerado de gorduras e proteínas, o que provoca aumento do colesterol ruim (LDL-c e VLDL) e diminuição do colesterol bom (HDL-c). Estas alterações estão ligadas ao aumento do risco de desenvolver doenças cardiovasculares. Se feita por longo prazo, pode levar a uma sobrecarga renal. Também promove a produção de corpos cetônicos pelo organismo (componente tóxico produzido pelo nosso corpo quando fazemos restrição de carboidratos).

Efeitos indesejados: a restrição total de carboidratos provoca alteração de humor, menos tolerância a exercícios físicos, queixas de cefaléia, sensação de fraqueza e tontura e odores produzidos pela presença de corpos cetônicos (hálito de acetona). Ao voltar à alimentação normal, é frequente o aumento de peso acima dos valores perdidos. Ou seja, você recupera o peso perdido e ainda engorda mais! Essa é uma resposta do nosso organismo, que se defende de períodos prolongados de jejum de carboidratos estimulando o armazenamento de até 1 vez e meia a quantidade de carboidratos armazenada normalmente!

Comentários: a perda de peso, nesse tipo de dieta, se deve à perda de água e carboidratos dos músculos e fígado. O resultado final dessa dieta é a perda de massa magra (músculos), utilizada para produzir energia para a manutenção das funções corporais, além de manutenção ou aumento da massa gorda. A pessoa perde peso durante a dieta, mas quando para retoma e até supera o peso anterior.

2- Dieta Dukan – Autor: Pierre Dukan

Como funciona: segue a mesma filosofia da Dieta Atkins, reduzindo significativamente os carboidratos e priorizando as proteínas e gorduras. Dessa forma, produz os mesmos resultados e efeitos deletérios ao organismo.

3- Dieta das frutas – Autor: Judy Mazel

 

Como funciona: as enzimas acelerariam a queima de grandes depósitos de gordura(o que não é comprovado cientificamente). Proíbe a mistura de proteínas e carboidratos nas refeições. Nos 10 primeiros dias, só permite o consumo de frutas (à vontade). No 11º dia, os carboidratos e as gorduras passam a fazer parte do cardápio, que só libera a proteína a partir do 19º dia.

Quanto diz emagrecer: não informa.

Pontos negativos: a dieta é desequilibrada, por restringir algumas categorias de alimentos. Não há ingestão adequada de vitaminas e minerais. É difícil de ser seguida, já que a restrição é extremamente rigorosa provocando cefaleia e vertigens.

Por que não deve ser feita: pode levar a carência de vários tipos de nutrientes (proteínas, vitaminas A, D, E, K, sais minerais), causando alterações metabólicas. Causa perda de tecido muscular (massa magra). O resultado é irregular (alguns indivíduos perdem peso e eliminam muita água pela urina; outros não). A restrição rigorosa da mistura de alimentos promove alteração das bactérias do intestino, que garantem o bom funcionamento do estômago e intestino. Estudos relacionam essas alterações com o favorecimento de gastrites, úlceras, etc).

 

4-  Dieta do tipo sanguíneo –  Autor: Peter J. D´Adamo

 

Como funciona: de acordo com essa dieta, cada tipo sanguíneo tem um metabolismo fruto da herança genética e requer tipos diferentes de alimentos. Os indivíduos que têm sangue tipo O devem seguir dietas ricas em proteínas. Os de tipo B devem priorizar os laticínios. Aqueles com sangue tipo A seriam vegetarianos e seu cardápio elege as fibras.

Quanto diz emagrecer: não informa.

Pontos negativos: é restritiva e não há embasamento científico.

Por que não deve ser feita: não possui comprovação científica e considera proibido o consumo de alimentos de acordo com o tipo sanguíneo. A restrição de determinados alimentos, como os laticínios para mulheres, compromete a ingestão de cálcio e predispõe a doenças decorrentes da falta desse nutriente.  A restrição ao consumo de carnes pode desencadear, em mulheres, gestantes e indivíduos ativos, carências de ferro e vitamina B12. a ingestão exagerada de fibras pode comprometer a absorção de alguns nutrientes e alterar a funcionalidade intestinal.

Esses foram alguns exemplos de dietas da moda que não oferecem os resultados desejados e podem ser prejudiciais à saúde. Não existe fórmula milagrosa quando consideramos alimentação consciente. Mais importante que dietas é a reeducação alimentar, acesso a informações com comprovação científica e abordagem do indivíduo como um todo. A DESINFORMAÇÃO é uma armadilha perigosa que pode prejudicar nossa saúde e bem-estar!

Informe-se sempre e consulte um Nutricionista para traçar, junto com você, estratégias com as quais você se identifique e que sejam efetivas na busca por uma melhor qualidade de vida.

 

Gostou do artigo? Conhece alguém que vai se beneficiar com essa informação? Curta, comente e compartilhe!

Fontes: Livro – Obesidade: Uma Abordagem Multidisciplinar. Autor: Antônio Herbert Lancha Jr.

Artigo – Análise Nutricional das Dietas da Moda. Autora: Daniela S. O. Viana.

 

Comments

comments

Share This