Print Friendly, PDF & Email

Quantas vezes já não desejamos chegar aos 100 anos, não é mesmo? Recentemente, pesquisados americanos descobriram um traço genético nas pessoas que passaram dessa idade. O estudo contou com cerca de mil indivíduos com 100 anos ou mais e aproximadamente 1.200 pessoas mais jovens.

Os pesquisadores identificaram 150 marcadores genéticos diferentes entre esses grupos. Com isso, estima-se que seja possível determinar com 77% de certeza se uma pessoa será centenária ou não.

Só a genética conta para viver muito?

Além do fator genético, a forma como envelhecemos também conta muito se vamos viver mais ou menos. Por isso, a importância de zelar pelos seus hábitos e investir em uma alimentação saudável e sem exageros é mais um fator determinante para a longevidade.

A prática de atividade física também entra nessa conta. Ficar parado vendo a vida passar não levará você a lugar algum. Então, deixe a preguiça de lado e mexa o corpo. Além de fazer bem para a parte física, a emocional também será beneficiada. Assim, manter contato com os amigos e dar boas risadas também aumentarão a sua expectativa de vida.

Porém, não basta sair por aí pegando peso ou realizando exercícios sem supervisão. Ao invés de fazer bem, a prática de qualquer atividade física sem a supervisão de um Personal Trainer especializado em idosos pode acarretar em lesões e muita dor de cabeça.

Então, escolha a atividade física que mais agrada você e só depois vá atrás de um Personal Trainer especializado em idosos. Assim, você já terá bem claro o que deseja e saberá escolher um bom profissional para auxiliá-lo.

O fator genético é sim importante para saber se você chegará ou não aos 100 anos, mas de nada adiantará chegar até lá com a saúde debilitada e dependendo de outras pessoas para fazer atividades simples. Não descuide da sua saúde e coloque a atividade física dentro das suas prioridades para viver muito e bem!

Comments

comments

Share This