Print Friendly, PDF & Email

O envelhecimento populacional é um triunfo, mas também um problema. O motivo de tal paradoxo é que ele pode ter uma contrapartida de fracasso, pois os anos ganhos a mais podem significar anos de sofrimento e infelicidade, um tempo de perdas, incapacidades e dependência. No entanto, se os indivíduos envelhecerem com autonomia e independência, com boa saúde física, desempenhado papeis sociais, permanecendo ativos e desfrutando de senso de significado pessoal, a sua qualidade de vida pode ser muito boa.

O grande desafio é conseguir uma sobrevida cada vez maior, com uma qualidade de vida cada vez melhor, para que os anos vividos em idade avançada sejam plenos de significado e dignidade. A qualidade de vida tem múltiplas dimensões, como a física, a psicológica e a social, cada uma comportando vários aspectos. Entre eles, a saúde percebida e a capacidade funcional, e o bem-estar subjetivo, indicado pela satisfação.

Os primeiros usos do termo qualidade de vida aconteceram na metade dos anos 60. No entanto, na América Latina e no Brasil passou a ser importante somente na ultima década do século 20, mais precisamente em 1992, aparecendo em forma de citações em alguns trabalhos.

No processo de construção de um instrumento para avaliar a qualidade de vida do idoso a seguinte definição é sugerida: “Qualidade de vida é a percepção de bem-estar de uma pessoa, que deriva de sua avaliação de quanto realizou daquilo que idealiza como importante para uma boa vida e de seu grau de satisfação com o que foi possível realizar até aquele momento”. Em outras palavras, o quanto alcançaram do que planejaram e almejaram para suas vidas e se isso corresponde ao grau de satisfação/insatisfação com suas vidas.

O idoso que adquire qualidade de vida, consequentemente viverá mais tempo e em melhores condições de saúde, tornando-se menos vulnerável e mais satisfeito com a vida.

A OMS (organização mundial de saúde) também defende a melhoria e manutenção da qualidade de vida que só é conquistada através de importantes fatores como: satisfação no trabalho, salário, lazer, relações familiares, disposição, prazer e espiritualidade.

Envelhecimento-e-Qualidade-de-Vida

É de extrema importância para os idosos a integração junto à sociedade, isso faz com que esse convívio seja prazeroso, faz com que o idoso se sinta útil, ágil e satisfeito, por ser igual a todos à sua volta, independentemente de sua idade. O idoso que não interage pode futuramente desencadear problemas físicos, patológicos e sociais. É também importante que os indivíduos se preparem para a terceira idade, já por volta dos 40/45 anos para não despertar um envelhecimento precoce, buscando ter um estilo de vida mais saudável.

Algumas pequenas mudanças já têm grandes repercussões no organismo. Só para dar alguns exemplos: se você caminhar 30 minutos diariamente, as chances de mortalidade sobre qualquer causa diminuem de 20 a 30%  ou, como recomenda a organização mundial da saúde (OMS), acumule 150 minutos por semana de exercícios aeróbio moderados.

Procure se alimentar de maneira equilibrada, faça escolhas alimentares conscientes e fuja dos exageros no consumo de açúcares, lipídios, bebidas alcoólicas e sal. Procure beber água de forma regular e acrescente porções de frutas, verduras e legumes no seu dia a dia.

Receita simples para uma vida longa.

Se você é do tipo que gosta das coisas breves e objetivas, deixo aqui 3 dicas para uma vida boa e com qualidade que você talvez aprecie. Alguém para amar: em geral, as pessoas são mais saudáveis e mais felizes quando tem alguém para amar e cuidar quer se trate de cônjuge, filhos, netos, animais de estimação ou um grande amigo/a. Passar tempo com a família é um grande reforço de comportamento saudável.

Algo para fazer: quando está ativamente envolvido com o mundo, você se sente desafiado e produtivo, o que é fundamental para a satisfação. Esteja envolvido: procure algo para aprender, construa laços pessoais, tenha um objetivo e identidade.

Algo para ansiar: para muitas pessoas, o envelhecimento é tempo de explorar novos empreendimentos, retribuir a outras pessoas na comunidade ou partilhar sabedoria com a família e os amigos. As pessoas gostam de saber que desafiaram a si mesmas ou que fizeram diferença, e claro, que todo o esforço teve resultado na sua vida ou na de outras pessoas.

Enfim, nada é uma receita ou uma fórmula mágica, procure o que faz bem para você e envolva outras pessoas no processo. Esteja sempre interessado em aprender e compartilhar, seja otimista, pense positivo e sorria.

Comments

comments

Share This