Print Friendly, PDF & Email

Dietas não funcionam. Três efeitos que fazem engordar novamente.

Entenda por que as dietas não funcionam e conheça os três efeitos que te fazem engordar novamente.

Você sentiu que precisa emagrecer e foi procurar uma dieta com restrições severas, com retirada de um alimento ou até mesmo de uma categoria inteira de nutrientes, como os carboidratos. Nos primeiros dias você está super motivado, seguindo à risca as recomendações se até achando relativamente simples e fácil aderir a esse plano alimentar. Porém, com o passar dos dias as coisas começam a tomar um rumo diferente e chega o final de semana e você foi convidado para ir a uma pizzaria. Você AMA pizza, mas está de dieta. Eis que alguns comportamentos – isolados ou juntos – fatalmente irão boicotar sua dieta.

Efeito 1: “Já que…”

Você imagina que será desafiador, mas vai confiante que conseguirá. Durante o jantar, você observa os seus amigos se divertindo e saboreando os pedaços de pizza…e sua vontade vai aumentando. Soma-se a isso a sua fome, companheira desde alguns dias, já que você tem consumido pouquíssimas calorias por conta dessa nova dieta. Em um determinado momento, você desiste e sucumbe a um pedaço de pizza. Enquanto come, pensa: ah…comi um pedaço de pizza e não deveria ter feito isso. Quer saber? JÁ QUE eu saí da dieta, vou comer o quanto quiser nesse final de semana e segunda-feira retomo a rotina da dieta.

No sábado foi chocolate de montão, hambúrguer, sorvete…e quando chega a segunda-feira, você se frustra e sente que não é capaz de seguir uma simples dieta, mas começa tudo de novo. Esse relato parece mais uma história de terror, onde as calorias da pizza são o vilão da sua dieta e não vão te deixar vestir aquela calça que você tanto quer.

Esse é um comportamento muito comum em pessoas que se submetem a dietas muito restritivas – o efeito “what the hell” (que poderia ser traduzido para o português como “que se dane”).  Estudos consistentes revelam que dietas e regimes podem levar, em médio prazo, ao aumento de peso em vez de diminuição –  e o efeito “what the hell” contribui para esses resultados.

Uma revisão de estudos científicos de 2013 considerou 20 publicações e detectou algo interessante: 15 desses estudos demonstravam que a dieta vinha seguida de ganho de quilos em adolescentes e adultos com peso adequado.  E um dos problemas em se seguir uma dieta é o ciclo de ceder às tentações e fazer restrições, o que induz ao excesso alimentar.

Essa tendência enfraquece a determinação de emagrecer. Quando você está em dieta e abre uma exceção, há um sentimento de que você comprometeu todo o esforço até aquele momento e o efeito “já que…” favorece um consumo maior de alimentos. Muitos estudos mostram que violar o regime ou mesmo acreditar que algo que você fez foi contra a dieta prescrita já é o suficiente para abandonar o autocontrole e “jacar” no resto do dia, do final de semana, da semana…!

Efeito 2: Processamento irônico.

Ainda usando o exemplo da pizza no final de semana.  Desde o início da semana você fica pensando que não poderá comer aquele pedaço de pizza e se preocupa com isso. Fica pensando: “eu não posso comer, pizza”, “comer esse pedaço de pizza não faz parte da minha dieta”, “esse alimento é proibido”. Existe um problema nisso tudo: tentar suprimir um pensamento tende a torná-lo mais saliente.

Esse fenômeno ficou famoso quando o psicólogo social Daniel M. Wegner realizou uma série de experimentos, conhecidos como estudos do urso-branco, em que pedia aos participantes que evitassem todos os pensamentos relacionados com a imagem do animal. Agora adivinha qual animal não saía mais da cabeça deles…o tal do urso branco!

Se transferirmos essa situação para dietas que insistem em retirar nossas comidas favoritas do cardápio, a tendência é que essa restrição leve a um desejo ainda mais profundo por esses  alimentos. Quer fazer um teste? Se comprometa a evitar macarrão a qualquer custo e, muito provavelmente, você acabará sonhando com aquela macarronada!

Outro estudo recente confirma os resultados anteriores e ainda acrescenta que, com essa atitude, não só ficamos com mais vontade de comer a comida proibida, como acabamos ingerindo maior quantidade dela quando temos chance.  Os estudos sugerem algo interessante: na maioria dos casos, eliminar totalmente determinados tipos de alimentos tende a provocar o efeito esperado. Ou seja: ao invés de você ir à pizzaria e não comer nada, acabará comendo mais pedaços do que o habitual.

Efeito 3: Fadiga Mental

Apesar de serem necessários vários esforços para mudança do comportamento alimentar, tais como os diários e registros alimentares,  principalmente no início, focar demais naquilo que comemos o tempo todo pode reduzir a capacidade de fazer outras coisas mias importantes. Estudos analisaram a energia mental disponível de pessoas que fazem dieta em comparação com pessoas que não se submetem a restrições alimentares e revelaram que quem faz dieta demora mais para absorver informações, resolver problemas e exercer AUTOCONTROLE.

Contar incessantemente as calorias de todos os alimentos que você compra, calcular quanto ou o que ainda é permitido comer ao longo do dia e voltar todas as suas atenções para a nova dieta pode ter consequências nocivas para a saúde mental. Um estudo de 2010 publicado na revista Appetite investigou o “pedágio mental” de comer chocolate entre pessoas que estavam ou não em regime.

As pessoas que não seguiam nenhuma dieta não se sentiam distraídos com pensamentos sobre o doce, mas as que faziam restrição alimentar raciocinavam com menos clareza e sentiam-se constantemente invadidos por pensamentos como : “Por que comi isso?” ou “O que devo fazer mais tarde para compensar?”.

Outro experimento publicado em 2010 mostrou que mulheres que restringiam ingestão de calorias e faziam registros do que comiam apresentavam níveis mais elevados de cortisol, um marcador de estresse biológico. Resumindo: para a maioria de nós, as dietas não só não evitam que você engorde, mas  também podem causar impactos sobre o bem-estar físico e emocional.

Mas fique tranquilo…não precisa ser assim! Existe uma saída muito mais simples e saudável para que você não engorde mais. Você poderá comer o que quiser, sem se sentir culpado ou cometer excessos e se arrepender depois e eu vou te mostrar como no próximo artigo.

QUANTAS VEZES VOCÊ PASSOU POR ISSO? SE VOCÊ QUER UMA METODOLOGIA DE RESULTADO, ENTRE EM CONTATO COMIGO E SAIBA COMO O COACHING NUTRICIONAL PODE TE AJUDAR. VEJA O QUE ACONTECEU COM O ANDRÉ E A JÚLIA.

 

Obrigada e até o próximo artigo!

Danielle Castellani
Coach em Nutrição

Email: ddcastellani@gmail.com

PS: o método Como Começar a Correr, desenvolvido pelo Marco Lopes e por mim, tem se mostrado muito efetivo em ajudar dezenas de pessoas que já o adquiriram e estão colocando em prática o treinamento a alcançar menores medidas e mais disposição e saúde através da alimentação equilibrada e exercício físico. Conheça!

Comments

comments

Share This